resenha

[Resenha] Dragões de Éter: Círculos de Chuva - Raphael Draccon

novembro 02, 2015

Nome: Dragões de Éter - Círculos de Chuva #3
Autor: Raphael Draccon
Gênero: Fantasia
Editora: Leya
ISBN: 9788562936340
Ano: 2010
Páginas: 534
Classificação:      
Sinopse: Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltam contra as antigas raças. E assim nasce a Era Antiga. Hoje, Arzallum, o Maior dos Reinos, tem um novo Rei e vive a esperada Era Nova. Coisas estranhas, entretanto, nunca param de acontecer... Dois irmãos sobreviventes a uma ligação com antigos laços de magia negra descobrem que laços dessa natureza não se rompem tão facilmente e cobram partes da alma como preço. Uma sociedade secreta renascida com um exército de órfãos resolve seguir em frente em um plano com tudo para dar errado em busca do maior tesouro já enterrado, sem saber o quanto isso pode mudar a humanidade. O último príncipe de Arzallum viaja para um casamento forçado em uma terra que ele nem mesmo sabe se é possível existir, disposto a realizar um feito que ele não sabe se é possível realizar. Uma adolescente desperta em iniciações espirituais descobre-se uma mediadora com forças além do imaginário. E um menino de cinco anos escala uma maldita árvore que o leva aos Reinos Superiores, ferindo tratados políticos, e dando início à Primeira Guerra Mundial de Nova Ether.
Frase preferida: “... Não deveria analisar uma atitude élfica através de uma filosofia humana, ou, do contrário, jamais haveria compreensão, mas preconceito.”
Resenha:

Este é o terceiro livro de uma trilogia, pode conter spoilers dos livros anteriores. Confira a resenha de Caçadores de Bruxas e Corações de Neve.

Como todos sabem, Dragões de Éter me conquistou completamente, desde o primeiro livro. Círculos de Chuva é o terceiro da trilogia, só não digo que é o último, pois o autor já disse que pode fazer um quarto livro, mas que se a trilogia fosse uma série, seria como se houvesse terminado a primeira temporada. Eu estou me apegando piamente nisso, pois muitas coisas foram deixadas no ar e eu fiquei órfã de mais um livro. E como toda pessoa que tem esperança, qualquer coisa é considerada um sinal... Há uma frase no livro que diz “Nenhum conto de fadas termina mal. Se atualmente não está bem, é porque ainda não chegou ao fim.” E eu apliquei isso ao livro, porque estou desesperada. Draccon do céu! Faça mais livrooooos! Por favor, nunca te pedi nada...

Bem, neste livro, Draccon traz mais personagens, inspirados em mais contos de fadas, como Peter Pan, João e o pé de feijão, Rapunzel, O patinho feio e O Flautista de Hamelin (no segundo livro a história é somente citada, nesse, Hamelin é um personagem – muito legal, por sinal). Também há referências à mitologia grega e até às histórias da Bíblia, como Davi e Golias. Apesar de não ser o melhor dos três livros – gostei mais do segundo -, Círculos de Chuva é o que mais tem conteúdo, mais surpresas e reviravoltas. A guerra mundial em Nova Ether é iminente, as alianças estão sendo formadas e Anísio, em tão pouco tempo de reinado, já está tomando grandes decisões que, para mim, já fizeram-no superar seu pai. Ele realmente foi incrível.


Se existem livros que merecem e precisam ser relidos, Dragões de Éter com certeza é um deles. Sinto que muita coisa passa despercebida na primeira leitura e que, na segunda, talvez, eu perceba, mas isso é papo para daqui a um bom tempo. Falarei das coisas que foram perceptíveis desta vez, como a mudança de Axel. O príncipe de Arzallum mudou desde que se separou de Maria Hanson, para ir atrás de sua noiva prometida. Perder o amor da sua vida para cumprir um compromisso que fazia parte de um plano maior, é com certeza um bom motivo para mudar. Eu não sei se mudou para melhor ou para pior, ele ficou mais forte e mais responsável, mas perdeu algo que eu gostava nele, não sei dizer o que, talvez seja porque foi uma dor enorme para mim, ver Maria e ele separados. Sofro com livro mesmo, me julguem.
"A dor é inevitável. O sofrimento é opcional." Ops...
Falando em Maria, ela foi outra que mudou. Nos outros livros ela era mais esperta, ágil... Nesse ela praticamente foi uma donzela em perigo e tem novos pretendentes que a protegem. Mas continua como professora e todos a conhecem por ser a garota que conquistou o coração do príncipe Axel, entretanto, com isso vem a lembrança da separação, o que deixou-a um pouco pra baixo também. Esse foi o livro que menos gostei dela, ao contrário de seu irmão, que teve seus melhores momentos! João passou de menino para homem, entrou para os escudeiros e teve coragem para agir quando Arzallum e sua Rainha precisavam dele. Ele passou por mais provações que qualquer garoto da sua idade e se saiu muito bem. Sua noiva, Ariane, ainda está descobrindo seus dons e tentou ajudar ao melhor estilo Ariane de ser. Ela também amadureceu bastante, sempre com um jeito espontâneo típico dela, mas cresceu muito durante a série.

Aliás, as personagens femininas foram bem fortes no geral. Branca tornou-se a Rainha que disse que se tornaria no primeiro livro: forte e de atitude. Bradamante, a capitã da Guarda Real, já havia me conquistado, mas nesse livro ela tornou-se ainda mais grandiosa. Sem dúvida, uma das melhores personagens. Liriel mostra-se importante para Snail, para que ele não deixe sua humanidade de lado. Ainda conhecemos algumas elfas, que são extremamente sensacionais.

Bradamante

Em Círculos de Chuva, um personagem, que muitos podem ter esquecido momentaneamente, volta. Confesso que já desconfiava, pois eu percebo os detalhes que indicam tal retorno. É claro que o autor me surpreendeu nas reviravoltas que se seguiram, mas enfim... Sem spoilers. Falando em autor, o narrador de Dragões de Éter foi sensacional na parte da guerra. Ele não mostrou a “superfície” da guerra, ele descreveu a realidade, ele falou do que ninguém fala, disse todas as coisas que ninguém que nunca foi a uma guerra sabe. Eu nunca fui a uma, não sei se é realmente verdade, mas fez sentido para mim.

Diálogo entre Will Scarlet e Snail Galford

Como eu disse, a trilogia foi fechada. Pode existir um quarto livro, mas o ciclo desta etapa se fechou. Porém, muitas coisas foram deixadas em aberto e o final deixou uma espécie de gancho para uma continuação. Eu estou bem esperançosa, deu pra perceber né? Hahaha

Com toda a certeza, Dragões de Éter conquistou seu espaço no meu coração. Entrou para a lista dos meus preferidos e eu indico MUITO para qualquer um. Deixo aqui meu OBRIGADA ao Raphael Draccon, por ter me proporcionado essa leitura maravilhosa e ter me apresentado a esse mundo fantástico – em todos os sentidos da palavra.


Que a força esteja a seu favor! Não se esqueça de clicar em SEGUIR aqui do lado e também de nos acompanhar nas nossas redes sociais:
Facebook | Instagram | Twitter | Youtube
Obrigada por tudo! Volte sempre! #desaparatei

0 comentários

ASSISTA AOS VÍDEOS DO NOSSO CANAL E SE INSCREVA!