resenha

[Resenha] A queda dos cinco - Pittacus Lore

agosto 04, 2014


Nome: A Queda dos Cinco (Livro 4)
Título Original: The Fall of Five
Autor: Pittacus Lore
Gênero: Romance/ Ficção científica/ Ação
Tradutora: Joana Faro
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580574227
Ano: 2013
Páginas: 288
Classificação:     
Sinopse: John Smith, o Número Quatro, achou que tudo seria diferente quando os lorienos se juntassem. Eles parariam de fugir. Lutariam contra os mogadorianos. E venceriam. Mas Quatro estava errado. Depois de enfrentarem Setrákus Ra e quase serem dizimados, os membros da Garde reconhecem que estão despreparados e em minoria. Escondidos na cobertura de Nove, em Chicago, eles planejam os próximos passos.
Os seis são poderosos, porém não são fortes o suficiente para enfrentar um exército inteiro, mesmo com o retorno de um antigo aliado. Para derrotar os mogadorianos, cada um deles precisará dominar seus Legados e aprender a trabalhar em equipe. O futuro incerto faz com que eles busquem a verdade sobre os Anciões e seu plano para os nove lorienos escolhidos. A Garde pode ter perdido batalhas, mas não perderá a guerra.

Frase favorita: “É racional, mas não quer dizer que seja certo.”
Resenha: 

Se você, assim como eu, ficou desesperado com o final de A ascensão dos nove, se prepare, porque o final de A queda dos cinco é mais desesperador ainda, até porque A vingança dos Sete só será lançado nesse mês de agosto nos EUA! E quem sabe quando chegará aqui no Brasil...
Após a batalha contra Setrákus Rá no Novo México, que deu uma espécie de empate, a Garde mais Bernie Kosar e a recém-resgatada Sarah, voltam para sua “base” em Chicago, na cobertura de Nove. Lá começam a planejar o próximo passo e a tentar trabalharem em equipe. Até que o último membro da Garde resolve mandar um sinal para chamar a atenção, não só de seus conterrâneos, mas de qualquer um que acompanhe as notícias, inclusive os mogs. O próximo passo então é decidido: encontrar Cinco antes dos mogadorianos.
Para a surpresa do grupo lorieno, além de encontrarem o número Cinco, reencontram Sam Goode, o lindo e fofo melhor amigo humano de John. Aliás, este quarto livro da série inicia com a narrativa de Sam, que depois intercala com as narrativas de John e Marina, os números Quatro e Sete, respectivamente.


Após uma missão bem-sucedida, o grupo volta para a cobertura com três reforços, sim, três! Não contarei quem é o terceiro porque seria um spoiler, mas é alguém que vai ajudar muito os lorienos. Cinco é apresentado à equipe, mas não consegue dar uma boa impressão, já que é um pouco esquisito. Ele nunca lutou contra um mogadoriano e parece ser meio lerdo. No estilo meio caladão, Cinco logo desperta a antipatia de Nove, que com seu jeito sexy explosivo não consegue evitar fazer piadinhas e implicar com o novato, o sentimento acaba se tornando recíproco. Enquanto isso, Ella, a garde mais nova, sofre com terríveis pesadelos, provavelmente, influenciados por Setrákus Rá.
Em meio a todo esse caos de iminência de guerra, de treinos, descobertas e surpresas, o romance ainda aparece para dar uma acalmada nos ânimos. Sarah está de volta para ficar de melação com Quatro, Sam e Seis começam a se entender um pouco, eu disse um pouco... E também tem Sete e Oito que são uns fofos quando estão juntos, mesmo sem pegação, pelo menos sem nada que o livro descreva, se é que me entende...


Eu disse que o romance aparece pra dar uma acalmada nos ânimos, não é? Então, eu menti, esse livro não tem nada pra acalmar os ânimos! Acontece uma coisa atrás da outra de forma tão rápida que quase não tem tempo para respirar, o pior de tudo, é que eu gostei! Esse jeito corrido do livro, a meu ver, mostra como era a vida dos personagens: corrida e movimentada. Desse jeito nós nos sentimos parte da história. Para mim, Pittacus Lore foi genial. E um cara muito perverso. Foram poucas as explicações nesse livro, pelo contrário, nos deixou com ainda mais perguntas!
Quando li esse livro foi como se eu dirigisse um carro de alta potência, no início você vai lento, mas quando começa a conhecer o carro, vai pisando mais fundo até ultrapassar os 300 km/h. Li pouco mais da segunda metade do livro em uma noite.
O resultado foi ficar com olhos inchados de tanto chorar, uma depressão pós-livro e uma ressaca literária nos dias seguintes. Porque eu chorei? Não foi só porque terminei um livro que ainda não possui continuação, mas porque, como os próprios autores disseram, haveria uma morte neste livro e bem, eu fiz uma coisa que os fãs de Game of Thrones sabem que não se deve fazer: apeguei-me a um personagem. Obviamente não vou dizer quem morre, mas fiquem sabendo que ainda estou de luto e só de lembrar fico com lágrimas nos olhos...
Uma última observação é sobre a evolução de Sete, ela aparentemente não tinha legados que ajudariam em uma batalha, mas no final descobre que é mais capaz do que pensa ser.
Ainda estou com cara de idiota, com a boca aberta só de pensar no final deste livro, espero que não demorem muito para lançar A vingança de Sete, não vou aguentar esperar tanto tempo!

Extra: Já havia percebido isso desde o segundo livro, mais alguém percebeu que quando muda o ponto de vista também muda a fonte da letra?

Extra 2: Ainda estou tentando entender o porque do livro se chamar A ~queda~ dos cinco...


Fiquem com um gostinho do próximo livro (POSSUI SPOILER PARA QUEM NÃO LEU OS QUATRO LIVROS ANTERIORES):

Sinopse: O pior deveria ter acabado. Estávamos reunidos depois de uma década longe. Descobriríamos a verdade sobre o nosso passado. Estávamos treinando e ficando mais fortes a cada dia. Estávamos até feliz...
Nunca imaginamos que os Mogadorianos pudessem transformar um dos nossos contra nós mesmos. Fomos tolos ao confiar em Cinco. E agora Oito está perdido para sempre. Eu faria qualquer coisa para trazê-lo de volta, mas isso é impossível. Em vez disso, vou fazer o que for preciso para destruir cada um deles.
Eu passei a minha vida inteira me escondendo deles, e eles levaram tudo de mim. Mas isso vai acabar agora. Nós vamos levar a batalha até eles. Temos um novo aliado que conhece suas fraquezas. E eu, finalmente, terei o poder de revidar.
 Pegaram Número Um na Malásia.
O Número Um foi capturado na Malásia.
O Número Dois, na Inglaterra.
Número Três, no Quênia.
E o Número Oito, na Flórida.
Eles mataram todos eles.
Eu sou a Número Sete.
Vou fazê-los pagar.

Confira também os dois capítulos já liberados aqui.

Que a força esteja a seu favor! Não se esqueça de clicar em SEGUIR na coluna da direita do blog em "SEGUIDORES" e também de nos acompanhar nas nossas redes sociais:
Facebook | Instagram | Twitter | Youtube
Obrigada por tudo! Compartilhe e volte sempre! #desaparatei

0 comentários

ASSISTA AOS VÍDEOS DO NOSSO CANAL E SE INSCREVA!