entrevistas

#LeiaUmNacional - Entrevista com Eder Traskini

maio 09, 2015

Olá terráqueos!
De forma inédita aqui no DNA Literário, entrevistei o Éder Traskini, autor de Stânix - o poder dos elementos.



Sinopse: Stânix é um reino medieval que já foi habitado por humanos, anões e elfos. Durante a primeira guerra, liderada pelo tirano Syrt, o reino só foi salvo pela magia e inteligência dos elfos. Porém, a raça foi obrigada a deixar o reino, incitados pela profecia da segunda guerra.
Aaron, um dos nascidos sob o sangue do primeiro grande conflito, foi deixado para trás e nem imagina o destino que lhe aguarda. Apenas ele pode salvar o reino.
A profecia está dita e Stânix está em suas mãos...
Editora: Novo Século





Ele respondeu algumas curiosidades e falou sobre seus futuros projetos, para a alegria dos fãs. E se você ainda não conhece... Aqui está uma ótima chance de conhecer um pouco do autor e de seu livro.
Confira:

1- Olá Éder! Primeiramente, obrigada por nos conceder um tempinho para essa entrevista. Fale um pouco sobre você e o que gosta de fazer nas horas vagas.

Olá, bom, eu estou me formando em jornalismo no final deste ano, na verdade eu moro em Santos agora - o que me facilita muito participar de eventos em SP - adoro comer lanche e bebo muita coca-cola (hahaha). No meu tempo livre, leia tempo em que não estou na faculdade, estágio ou escrevendo, eu gosto de ler (ah, sério?) e jogar vídeo-game também.

2- Fale sobre seu livro e de como foi escrevê-lo, como surgiu a ideia?
Foi um processo longo, eu escrevia por hobby no começo, só mesmo pra não perder a ideia que estava na cabeça. A ideia surgiu de muitos e muitos livros que li eu acho, não sei bem ao certo quando e como, mas surgiu e eu quis colocar no papel. É bom dizer que sou muito mais um escritor jardineiro do que um escritor arquiteto. Eu não planejei tudo, eu só plantei a semente; sabia que a árvore cresceria, mas não sabia quantos galhos ela teria, para onde iriam suas raízes ou o quão retorcido sairia o tronco.

3- Quando e por que você decidiu ser escritor? Teve alguma influência ou inspiração?
Acho que eu decidi mesmo depois de já o ser. Durante a Bienal do ano passado, a primeira que participei, foi que a chavinha virou na minha cabeça e eu vi que era aquilo que queria fazer pra minha vida toda. Inspiração eu tenho em vários grandes autores de fantasia e venho sempre buscando mais, porém a maior influência digamos assim, foi de um amigo meu (já vou contar mais sobre ele).

4- Qual a maior vantagem e a maior desvantagem de ser escritor?
Olha o melhor em ser escritor é receber os feedbacks dos leitores. Quem não escreve não tem noção do que é estar em casa tranquilo e receber mensagens, fotos, fan-art, de pessoas que leram seu livro e admiram seu trabalho. É incrível. A parte chata, lógico, é o mercado brasileiro que é bem complicadinho, mas não podemos dizer que não vem melhorando.

5- Você escrevia por hobby ou já começou a escrever imaginando publicar algum dia?
Então, eu sempre escrevi por hobby, como disse acima, até que um dia um amigo meu descobriu e pediu pra mandar pra ele. Eu mandei e ele não me deixou em paz enquanto não terminasse a história. Acontece que esse amigo, o Matheus Lara, também era escritor e tinha publicado um livro há pouco tempo, e foi por isso que eu disse que ele me influenciou bastante - na verdade, o livro só existe por causa dele imagino eu.

6- Como leitor, você também prefere a fantasia ou tem outro gênero favorito?
Fantasia, com certeza! Acho que temos que escrever aquilos que temos conhecimento e que gostamos acima de tudo. Já li mais de 70 livros de fantasia.

7- Você já pensou em mudar algo no seu livro depois de publicado?
Pensei. Isso é mal de autor eu acho. Toda vez que eu leio quero mudar uma coisinha ali, uma palavrinha aqui, inserir um diálogo acolá. Nunca estou satisfeito, sempre acho que posso melhorar.

8- Se seu livro fosse adaptado para o cinema, como você reagiria?
Ah, seria fantástico, mas no Brasil isso está longe de ser uma remota possibilidade.

9- Como é sua relação com os leitores? Já passou por algum momento que tenha te marcado/te surpreendido?
É muito boa, adoro conversar com eles, fiz muitos amigos-leitores digamos. Acho que a Bienal foi o ponto alto, como já citei, foi o que me marcou e me mostrou o que é ser escritor. Uma vez veio uma menina falar comigo na página do face emocionada elogiando muito o livro e dizendo que agradece demais a mãe dela por ter trazido o livro da livraria pra ela. Segundo ela, a mãe viu o livro na livraria e gostou e trouxe pra filha, que gostou ainda mais. (aí você faz todo tipo de propaganda e as pessoas conhecem seu livro sem seu menor controle rs)

10- Tem algum personagem que você se identifica? (Do seu livro ou de qualquer outro) Por quê?
Não vou citar do meu, porque os outros ficariam com ciúmes (hahaha). Um personagem que eu me vejo muito o Peeta Mellark dos Jogos Vorazes, pela maneira dele de se sacrificar por quem ama.

11- Tem algum projeto para o futuro? Algum novo livro em andamento?
Tenho sim! O segundo livro de Stânix já está a caminho e com algumas propostas em mãos. "Stânix - A Fúria dos Dragões". Além disso, estou escrevendo uma distopia, mas ainda é projeto.

12- Como autor, qual seu maior sonho?
Meu maior sonho é entrar em uma livraria um dia e ver os livros nacionais em destaque nas mesas e vitrines. É muito triste a maneira como somos tratados dentro das livrarias, praticamente escondidos (com raras exceções). O preconceito com os autores nacionais vem diminuindo a cada dia, fico muito feliz com isso, porém muita gente entra na livraria e aceita aquilo que está na vitrine como o melhor, não vai até o fundo caçar um livro nacional, isso tem que mudar se quisermos acabar com o preconceito de vez.

13- Um livro que você gostaria de ter escrito.
Ah, são tantos... Sou fã de As Crônicas de Gelo e Fogo, mas ninguém que não se chame George R. R. Martin poderia tê-lo escrito. É um universo tão complexo que me dá até medo. Estou lendo agora "O nome do vento" e tinha pensado já em escrever algo com essa estrutura, um flashback total com alguém contando a história. Gostaria de ter escrito esse.

14- Existem muitos novos autores nacionais hoje em dia. Tem contato com algum? Se sim, como é sua relação com eles? E o que você acha da literatura no Brasil atualmente?
Acho maravilhosa. São tantos bons autores que minha estante está lotada deles e eu mal consigo lê-los! Sim, mantemos contato sempre que possível, eu considero a Ana Beatriz Brandão (Sombra de um Anjo e Caçadores de Almas) e o Luiz Henrique Batista (Os doze guardiões da luz) meus dois grandes amigos no meio literário, mas tenho contato com vários como o Marcelo Siqueira (O Príncipe Gato), Raphael Montes (Suicidas), etc.

15- Se você pudesse mudar o final de algum livro, você mudaria? Qual? Por quê?
Não ouso mudar nada, não me meto nos universos de outros autores. Mas um que eu gostaria que tivesse sido diferente, apesar de ser tão bom por ser daquele jeito, é A Esperança (Jogos Vorazes). O final é tão triste que depois que acabou o livro eu fiquei meio em estado de choque durante uns cinco minuto com o livro ainda em mãos.

16- Você tem algum conselho para quem está começando e sonha em publicar um livro?
Perseverar. Deixar as coisas boas se sobressaírem sobre as ruins, pois as duas irão acontecer. Não desanimar na minha crítica, no primeiro não, na primeira revisão, no primeiro bloqueio. Tentar escrever sempre, que seja uma página por dia, e ler muito, principalmente livros relacionados ao seu ou que podem servir de pesquisa de embasamento para o seu universo.

17- Para finalizar, deixo esse espaço livre para você mandar uma mensagem para seus leitores e o que mais quiser, fique à vontade!
Queria agradecer o espaço, agradecer a todos meus leitores - que são a real razão de eu continuar escrevendo - e prometer a eles que nos próximos meses teremos o anúncio da data de lançamento do segundo livro, eles estão me cobrando e eu estou devendo mesmo!


Eu que agradeço, Éder. Foi a primeira vez que fiz uma entrevista, não sabia bem como seria, mas foi bem... hm... surpreendente! haha

Todos os fãs estão ansiosos para o lançamento dos seus próximos livros e eu estou ansiosa para ler Stânix. (Comprarei ainda essa semana! Arranjo um espaço aqui... hahahaha)
E aí, gostou da entrevista? Se interessou pelo livro? Deixe um comentário!


Veja o booktrailer do livro Stânix - O poder dos elementos:




 

Que a força esteja a seu favor! Não se esqueça de clicar em SEGUIR na coluna da direita do blog em "SEGUIDORES" e também de nos acompanhar nas nossas redes sociais:
Facebook | Instagram | Twitter | Youtube
Obrigada por tudo! Compartilhe e volte sempre! #desaparatei

0 comentários

Comente sua opinião!

ASSISTA AOS VÍDEOS DO NOSSO CANAL E SE INSCREVA!